Parabéns Fidel Castro, querido Comandante

Mensaje de la Red en Defensa de la Humanidad

Comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz

Querido Comandante:

Por ocasião de seu nonagésimo aniversário, os membros da Rede de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em Defesa da Humanidade queremos fazer chegar nossas mais sinceras felicitações e, sobretudo, nosso mais profundo agradecimento por tudo que tem feito pelos povos de Nossa América e por todos do mundo.

Sua figura tem sido permanente fonte de inspiração, não somente, quando impulsionados pela maré ascendente das lutas populares, dávamos passos firmes em direção ao socialismo, mas também nos momentos recorrentes em que nossos avanços se detinham em consequência da agressividade e da reação do imperialismo e seus aliados.

Se nos períodos de ascenso seu exemplo nos obrigava a não nos darmos jamais por satisfeitos nem satisfeitas e, como bons revolucionários e revolucionárias, a prosseguir com renovado orgulho nossa marcha, quando deveríamos enfrentar as adversidades ou a contra-ofensiva do inimigo, a lembrança de sua atitude após o Moncada ou o ataque do imperialismo em Praia Girón fortalecia nossos espíritos e nos convencia de que a vontade inabalável de lutar por nossos ideais era o caminho seguro para a vitória. Você nos mostrou esse rumo em incontáveis ocasiões e podemos lhe assegurar que esse ensinamento que nos reiterou em sua reunião com os intelectuais em 10 de fevereiro de 2012, quando ressaltou que “ainda que nos dissessem que restam poucas semanas de vida ao mundo, nosso dever seria lutar, continuar lutando até o fim”, calou fundo e já é uma marca indelével em milhões de latino-americanos e caribenhos que sabem, como muitos outros que lutam em outras partes do mundo, que esse será nosso destino: lutar até o fim, conscientes de que as classes dominantes e o imperialismo jamais se darão por vencidos.

A convicção de que nossas ideias e nossos valores são infinitamente superiores aos dos nossos inimigos foi e é um alimento essencial de nossa militância revolucionária. De você aprendemos que sua defesa exige a mais absoluta intransigência, como, com virtuosa obstinação, você se negou a arriar as bandeiras do socialismo no momento em que se desintegrava a União Soviética e desaparecia o campo socialista.

Graças à sua inabalável convicção, a Revolução Cubana pôde seguir sua marcha e, com seu heroico exemplo, abrir um caminho que poucos anos depois começariam a percorrer numerosos países de Nossa América, como após o triunfo de Hugo Chávez Frias nas eleições presidenciais da Venezuela em dezembro de 1998. Se você tivesse se deixado convencer pelos que o aconselhavam a abandonar para sempre o projeto socialista e Cuba se tivesse jogado nos braços do capitalismo, o luminoso período aberto desde final do século passado até nossos dias, com a derrota da ALCA, a criação da ALBA, da UNASUR, da CELAC, de Petrocaribe, do Banco do Sul, da Telesur, da própria Rede em Defesa da Humanidade, jamais teria acontecido. A potente luz que irradiava o farol da Revolução Cubana foi decisiva para impulsionar nossos povos a deixar para trás a longa noite neoliberal dos anos noventa e a retomar o caminho à nossa Segunda e Definitiva Independência.

Por isso nossa dívida, a dívida de nossos povos com você, Comandante, é incomensurável. Daí nossa profunda gratidão por sua integridade revolucionária, por ter sido fiel àquela maravilhosa definição de “revolução” que expressou em seu discurso do 1º de Maio de 2000, em uma das passagens, em que ressaltou que a Revolução “é defender os valores nos quais se crê, ao preço de qualquer sacrifício; é modéstia, desinteresse, altruísmo, solidariedade e heroísmo; é lutar com audácia, inteligência e realismo”. Ao longo de sua fecunda vida, você tem sido fiel a essas ideias que viverão eternamente na alma dos revolucionários e revolucionárias de todo o mundo, de todos aqueles que sabem que outro mundo é possível e necessário e que, ao lutar-se com a constância e coerência que você demonstrou durante tantos anos, a vitória será inevitável.

FELIZES NOVENTA ANOS, FIDEL ! OBRIGADO POR SEU EXEMPLO. PODE ESTAR CERTO QUE SEREMOS FIÉIS A SEUS ENSINAMENTOS ATÉ A VITÓRIA FINAL.

Em nome da Rede em Defesa da Humanidade, sua Secretaria Executiva, integrada por:

Carmen Bohórquez (Coordinadora General de la REDH) ⁠⁠⁠⁠

Alicia Jrapko (REDH EEUU) ⁠⁠⁠⁠

Ángel Guerra (REDH Cuba/México)⁠⁠⁠⁠

Ariana López (REDH Cuba) ⁠⁠⁠⁠

Atilio Borón (REDH Argentina)⁠⁠⁠⁠

David Comssiong (REDH Del Caribe)⁠⁠⁠⁠

Fredy Ñáñez (REDH Venezuela) ⁠⁠⁠⁠

Hugo Moldiz (REDH Bolivia) ⁠⁠⁠⁠

Juan Manuel Karg (REDH Argentina) ⁠⁠⁠⁠

Katu Arkonada (REDH País Vasco/Bolivia)⁠⁠⁠⁠

Luciano Vasapollo (REDH Italia)⁠⁠⁠⁠

Marilia Guimaraes (REDH Brasil) ⁠⁠⁠⁠

Nayar López Castellanos (REDH México) ⁠⁠⁠⁠

Omar González (REDH Cuba) ⁠⁠⁠⁠

Roger Landa (REDH Venezuela)⁠⁠⁠⁠

Foto: Elliott Erwitt/Magnum Photos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *