O movimento Bom Senso FC, representado por uma comissão de atletas que pede mudanças no calendário atual do futebol elaborado pela Confederação Brasileira de Futebol(CBF) , recebeu o apoio da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O presidente da OAB, Wadih Damous, ressalta que os clubes devem apoiar os jogadores. ” A CBF é uma entidade parasitária, que nada em dinheiro enquanto a grande maioria dos clubes se encontra na bancarrota, além de estar permanentemente envolvida em escândalos de corrupção”, disse Damous.

O movimento participará de um debate para discussão do calendário da CBF, no próximo dia 21, na Câmara dos Deputados . A reunião é uma iniciativa do deputado federal Romário (PSB-RJ) e deve ter a presença do zagueiro Paulo André, do atacante Alexandre Pato, dos meio-campistas Alex e Zé Roberto, além dos goleiros Rogério Ceni e Diego Cavalieri.

Além de alterações no calendário da CBF, o Bom Senso FC, ainda defende outros interesses para os atletas, como o direito de férias sem interrupção de 30 dias, o tempo devido de pré-temporada e a participação de jogadores e treinadores nos conselhos técnicos das entidades.

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor: