O golpe sofrido pela presidente Dilma deu fôlego para ela colocar o pé na estrada. Dilma tem percorrido vários estados do Brasil denunciando o processo e lutando em defesa da democracia. O objetivo é somar esforços e contribuir para que a resistência ao golpe possa avançar. Dilma está convicta que não há saída para a crise que não passe pela sua volta.

Em entrevista, ontem, ao Diário do Centro do Mundo, transmitida pela TVT, a presidente afastada Dilma Rousseff falou sobre os próximos passos caso supere o processo de impeachment do Senado: “Vou conduzir a reforma política no país e retornar os direitos que foram retirados pelo governo interino do Michel Temer.  Dilma falou também sobre o golpe, o plebiscito e as viagens pelo País. Leia a matéria no Brasil de Fato.

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor: