Valeu a pressão. #ForaTemer liberado nos jogos. Por iniciativa de petistas, Justiça garante liberdade de expressão nos Jogos Olímpicos. A decisão atendeu o pedido do Ministério Público que foi acionado por dois deputados federais petistas. Paulo Pimenta (RS) e Padre João (MG).

Na foto, nossa medalhista de ouro a judoca Rafaela Silva, expressando reconhecimento ao incentivo dado pelo governo Dilma ao esporte.

Mandato do deputado federal Wadih Damous sente orgulho de Rafaela dentro e fora dos tatames.

Leia mais na matéria do PT na Câmara.

Vai ter #ForaTemer nos Jogos do #Rio2016

O juiz federal João Augusto Carneiro Araújo concedeu nesta segunda-feira (8) liminar em que proíbe o Comitê Organizador dos Jogos do Rio-2016 de reprimir manifestações políticas pacíficas no ambiente das Olimpíadas.

A iniciativa atendeu a pedido do Ministério Público, como o próprio magistrado reconhece em seu despacho. Por sua vez, o Ministério Público foi acionado pelos deputados petistas Paulo Pimenta (PT-RS) e Padre João (PT-MG), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara. A CDHM e Pimenta representaram contra o COI junto à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) na manhã desta segunda.

A decisão tem como alvos, além do comitê, o governo do estado do Rio de Janeiro e a União. A liminar determina que “os réus se abstenham de impedir a manifestação pacífica de cunho político através da exibição de cartazes, uso de camisetas e de outros meios lícitos nos locais oficiais dos Jogos Olímpicos Rio-2016”.

Araújo continua dizendo que “chegou ao conhecimento da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Rio de Janeiro a prática coordenada e adotada pelos réus de impedir os espectadores dos jogos de exibir cartazes ou usar camisetas com manifestações políticas nas arenas esportivas, obrigando-os a guardarem os mesmos e, nos piores casos, retirando-os do recinto por agentes da Força Nacional ou da Polícia Militar”.

Para Paulo Pimenta, a agilidade da Justiça nesse caso é resultado da “repressão absurda” que o COI e o governo golpista de Michel Temer impuseram à população. “Não poderíamos aceitar esse tipo de ação repressiva, assim como não vamos aceitar esse golpe que Temer está querendo impor. A liberdade de expressão e a democracia precisam ser respeitadas e nossa luta é nesse sentido”, afirmou o parlamentar.

Mais detalhes:

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor:

Share This