No dia 11 de agosto, aconteceu na Faculdade Nacional de Direito, UFRJ, um evento dos juristas em defesa do Estado democrático de direito organizado pelo Centro Acadêmico Cândido de Oliveira, CACO, junto com a Professora Doutora da casa, Carol Proner.

Na mesa estavam presentes o Diretor da Faculdade de Direito, Flávio Martins; o representante do CACO, Rafael Assioli; Wadih Damous por sua trajetória jurídica; a presidenta eleita Dilma Roussef e o ex-presidente Lula.

No mesmo dia também ocorreu o lançamento do livro “Comentários a uma sentença anunciada – O processo Lula” escrita por mais de 100 juristas brasileiros que questionam a condenação proferida pelo juiz de Curitiba¹. O evento reuniu milhares de pessoas que organizavam uma fila que ia desde a entrada do Salão Nobre da faculdade até mais de 100 metros pela calçada da Rua Mancorvo Filho, onde fica localizada.

O evento foi um sucesso e deu grande visibilidade às divergências existentes no campo jurídico em relação à perseguição política ao presidente Lula que faz parte do golpe de Estado que derrubou a presidenta eleita Dilma Roussef.

                                                                                                                                                                            Foto: Ricardo Stuckert

 

¹ Para adquirir o livro basta entrar neste link.

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor:

Share This