A contra-informação é a melhor arma para desmontar preconceitos ou ideias falsamente disseminadas. O caso da Venezuela é emblemático uma vez que a mídia hegemônica brasileira, coligada com os interesses estadunidenses, jamais apresenta outras visões ou informações de modo a tornar possível uma compreensão mais ampla dos acontecimentos naquele país. Quando há iniciativas que proporcionam mais debate nos meios de comunicação é preciso reconhecer e ajudar a disseminá-las, afinal, a diversidade de informações é um pilar essencial para a existência de uma sociedade mais democrática. Em entrevista para a Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul, a juíza Carla Avelini de Oliveira, do Fórum da Tristeza em Porto Alegre, conta como foi o trabalho de observadora internacional das eleições regionais da Venezuela, que ocorreram no último dia 15. A juíza foi cedida pela justiça gaúcha e representou a Associação Nacional Juízes pela Democracia. Ouça na íntegra e fique por dentro!

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor: