Por Bepe Damasco

O ex-presidente Lula fechou com chave de ouro seu périplo pelo estado do Rio de Janeiro na noite desta sexta-feira, 8 de dezembro. Diante de uma concha acústica da Uerj superlotada, Lula brindou os estudantes, professores, parlamentares, sindicalistas e a militância presente com um discurso rico em conteúdo político e propostas para o Brasil, semeando esperanças.

Ele alertou que o povo ainda se sente anestesiado diante da destruição de seus direitos pelo governo golpista, desafiou a Lava Jato a encontrar um centavo ilegal seu, cobrou um pedido público de desculpas a ele “quando isso tudo terminar”, falou de seu projeto de federalizar o ensino médio e avisou para o delírio da plateia: “vou disputar e ganhar as eleições.”

Em sua fala, o deputado Wadih Damous chamou a atenção para o desafio colocado para os democratas e para a esquerda de garantir o direito de Lula se candidatar a presidente, enfrentando e derrotando as atrocidades jurídicas cometidas pela Lava Jato, para tirá-lo do páreo. Sobre o drama vivido pela Uerj, o deputado foi enfático: “Vamos até o fim nesta luta para recuperar a dignidade da Uerj. Eu sou filho da casa. Aqui, com muito orgulho, fiz o meu curso de direito. O descalabro de hoje é resultado da ação da quadrilha que governa o Rio.”

– Precisamos ter claro também que o sistema de justiça está na linha de frente do fascismo no Brasil. Hoje mesmo durante ato em frente à Petrobras, enquanto nas dependências da empresa o juiz fascista Moro participava de uma solenidade, eu disse que ele teima em se manter em silêncio sobre as graves denúncias de Tacla Duran. Não tem problema, nós vamos atrás deles e haveremos de pôr no banco dos réus a turma da Lava Jato de Curitiba.

Fotos:

Grande ato de encerramento da caravana Lula Pelo Brasil no Espírito Santo e Rio de Janeiro na UERJ. #LulaPeloBrasil #LulaPeloRiodeJaneiro

Fotos Ricardo Stuckert, Pérola Baqueiro e Renam Brandão

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor:
Share This