“Agora é Haddad no governo e Lula no poder”, sentenciou o deputado federal Wadih Damous (PT/RJ), após visitar o presidente Lula, na manhã de terça (11/09), dia do anúncio da Carta ao Povo Brasileiro e indicação de Haddad, em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba.
“Vamos transformar o que de fato é uma derrota, em vitória. A partir de hoje, começamos a derrotar o golpe”, afirmou. Segundo o advogado de Lula, embora não seja um momento alegre é um momento solene: “Vamos mostrar aos fascistas que não temos medo deles e vamos ganhar as eleições”, conclamou.

Damous informou que Lula fez questão que o anúncio acontecesse em frente à PF, em homenagem à militância que resiste há mais de 150 dias na vigília, ao lado de sua cela. “Tem gente que nem fez rodízio, não. Estão aqui há mais de 150 dias”, concluiu.

Leia matéria no Brasil de Fato

Doe para a campanha

Wadih Damous é advogado e deputado federal. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro entre 2007 e 2012. Presidiu a Comissão da Verdade do Rio e a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB. Presidiu Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UERJ e, como advogado, atuou e defendeu os trabalhadores. Agora, como deputado federal, após ter ocupado a vanguarda na resistência ao golpe contra a presidenta Dilma, se firmou como um pilar da legalidade democrática na Câmara dos Deputados e é um dos principais parlamentares na defesa do Lula. Sua voz hoje no parlamento é referência contra as atrocidades jurídicas da Lava Jato e o Estado de exceção no qual está mergulhado o Brasil pós-golpe, sempre apontando a urgência do resgate da democracia.

Outro valor: